Rema...Rema...Rema...

 

Em mim deságuam hoje correntezas de felicidade porque
vi uma luz do outro lado do rio
.
Luz branca, transparência clara
e calma, cifras deliciosamente humildes e carinhosas.

Rio de águas Salinas que aumenta de volume escandalosamente,

traz no leito o quarto corpo, de latinidade linda, simples, forte e apaixonada, com luz difusa mas insistente.
Sua harmonia cor de Plata, leva também Janeiros, meus Pinheiros, que se diluem no Tibre,Tejo, Danúbio, Tâmisa.

Um coração fluvial, pulsando em fluxo único. e contínuo, água vai, água vem.Só uma.Só um.
Jorge Drexler   e seu mergulho de verdade no rio profundo maior que oceano.

Foi de arrepiar e chorar pelos olhos já sempre recheados de água, nadando por fora, por dentro.
Acima de qualquer coisa, nada nunca está perdido.

bjs _II_

 

ps: letra publicada no Spoiler, pelo cara que toca Cinema..

 



Escrito por amita às 15h07
[   ] [ envie esta mensagem ]





by Amita

E por falar em linhas...

 

Seis são as linhas finas, brilhantes, preciosas, que levam meu coração pelo  braço longo, corpo, boca onde toco sem precisar ver, olhar, bem que conheço.

Às seis, desapertar, despertar, de perto, pertinho,relaxar, aliviar do que sufoca, da angústia, de longe, lá longe, aproximar e afastar os intervalos pra sentir como é o som que arrepia até meu pensamento. Acordar, dar corda, entrar em acordo, relevar, revelar, ceder.

Ao final, definir, afinar é dar o tom, manter o tom puro e limpo, por vezes buscar outro tom, um semi-tom, mas nunca desafinar. Talvez espaçar pra bem harmonizar, alongar, esticar, alisar, ir até o limite para ressonar, purificar, estreitar,ficar, deixar, deixar descansar, deixar ouvir , deixar tocar, deixar ver, não um ver qualquer, um  vermelhor, ver de verdade, ver por trás das linhas, além das em fino EADGBE, as refinadas D André D Geraissati A D que são outras, vibram etéreas, nada térreas, sublimes, abertas e soltas.
Ele é mestre d’alma, sensível, discreto, encanta, quase fico constrangida com tamanha beleza e superioridade,
é mesmo fora do comum, do eixo e da rota, com suas linhas sinuosas que transportam harmonia por caminhos surpreendentes, de sonho inconcebíveis pela maioria.
Ouça comigo e depois me diz se não é um samadhi. 
bjs_II_


ps: samadhi é um estado máximo de absorção espiritual

 



Escrito por amita às 00h33
[   ] [ envie esta mensagem ]





by Amita

Da caixa

 

Abro minha caixa  onde guardo preciosidades, jóias de princesa e algumas peças começam a tomar vida-som.
São meus tons bemóis encaixados nos sustenidos dependurados em semínimas ; pétalas de lótus em série abraçadas, um, dois, três,
sem número que recebo com amor e com amor, guardo; escalas intermináveis, longos fios de seda cor lilás como lavanda pra levada ser gentil e ampla;
 pequenos espelhinhos que refletem a ponta dos cílios cintilantes delicados como cordas de kora; e nos os cantos dos olhos, agudos de exatos dois instantes piscados; Om pingente silverado vibrando o meu colo  noite-dia-noite marcando o tempo que nem existe; duas gotas de sândalo q sou eu evaporada; guizos nos tornozelos viajando o som da cabeça aos pés; lenços muitos de trama multicor cobrindo para descobrir no tempo e andamento certos.

E hoje, assim que abri a tal, dei de ouvidos com Nusrat Fateh Ali Khan e suas ondas de voz qawwali navegando nas linhas da guitarra infinita do Michael Brook. Dois caras sem fronteiras que fazem Paquistão e Canadá serem igual aqui, são dois, são um só, são todos.

O nome da trilha : My Heart My Life . Mais ou menos como eu. 
bjs _II_

 



Escrito por amita às 06h46
[   ] [ envie esta mensagem ]





by Amita

Hello Brasil  (com S)

 

Tenho viajado léguas, rios, mares, hemisférios, ultimamente, vou e volto sem parar num piscar pra dentro, pra fora. Na minha rotação acelerada, sem chance de intervalo entre sístole e diástole, me inspiro, respiro pro fundo o bem que os ventos dos mundos me trazem, e te expiro o que tenho em mim de melhor, Namaste.
Mala na mão, milhagem invejável em rodas e asas, sonhos do “comosomos” X, que igualmente me deu o gosto pela vida, pelo gosto, pelo ir, pela música e pelo gênio que escreveu o que
hoje te trago como prato do dia:
Feito com ingredientes típicos e tropicais, do bom, do melhor e do incomparável Chico, e pra acompanhar, Ed Motta e João Donato.
Iguaria que se come sem parar, ansiosa,  garfada por garfada, mastigando devagar, salivando de delícia, passando a língua pelos dentes, língua pela língua. 

Esse vindaloo versão Brasil  é quente, tem pimenta, coentro, castanha-do-Pará. Queima sem machucar. 

A sobremesa você pode escolher - não sou de doces. Prefiro o açúcar natural desses feras temperados com cravo pra você especialmente .
Boa viagem
J bjs_II



Escrito por amita às 08h37
[   ] [ envie esta mensagem ]


[ ver mensagens anteriores ]

  Ver mensagens anteriores

links
  fiteiro
  música é o negócio
  impressoes de fevereiro
  spoiler
  lotta continua
  anaconda
  mude
  sovaco de cobra
  giralata
  gandalf
  poesia de latrina
  hora do café
  opyo
  impressões de ontem
  vita manifesta
  collective intelligence
  anita roddick
  no war blog
  night passage