by Amita

  

Desfazer para refazer

 

Para despir-me dos tantos sons sem tom do dia, ouvir cada a gota que bate no metal, tac tac, escorre pelo vidro, e diminuir a luz pra iluminar-me de escuro, aumentar o volume do meu silêncio, ver as estrelas que habitam o céu dos meus olhos, e acordar alimentada de nada,esvaziar para preencher, escoar o que escolhi não guardar, cuidar do que colhi-acolhi.

Ouvir em freqüência mínima o máximo de detalhes,  unhas fortes derrapando em curvas de ângulo aberto, cada passo das ladeiras que meu coração diariamente sobe ao encontro ansioso do surpreendente, do agri-doce, ardido, quente, úmido e fascinante desconhecido. 
Comigo agora viajam  Selvaganesh, um poli-rítmico de marcas profundas, Shawn Lane, o multi-harmônico dos laços etéreos, e Jonas Hellborg, inventor de pluralidades.
Chegam vaporizando o ar com dedos enfeitiçados, fazendo conteúdo com matéria organicamente melódica.

Assim pra começar o dia que nunca mais vai existir. Pense nisso. bjs_II_

 



Escrito por amita às 08h02
[   ] [ envie esta mensagem ]


[ ver mensagens anteriores ]

  Ver mensagens anteriores

links
  fiteiro
  música é o negócio
  impressoes de fevereiro
  spoiler
  lotta continua
  anaconda
  mude
  sovaco de cobra
  giralata
  gandalf
  poesia de latrina
  hora do café
  opyo
  impressões de ontem
  vita manifesta
  collective intelligence
  anita roddick
  no war blog
  night passage