by Amita

 

Ouvido distante

 

Há tempos estou ensurdecida com meu próprio silêncio, avassalador, corrosivo, perverso, um grito mudo que me extirpou inteira, arrancou raízes, agrediu cordas, demoliu meus concretos mais abstratos. O nada, assim instaurado na vivência do tudo mesclado em ordem irreconhecível, gerou o tormento maior nessa alma fortemente vulnerável, entregue à verdades nuas, sem casca.

Muito cansativa essa batalha, cujos adversários sou eu mesma.

Apesar de ainda totalmente exausta e sem rumo, ontem consegui ouvir o que identifiquei como as suas vozes, vocês que sei me querem bem, e a quem eu sempre vou dedicar grande parte da minha vida e minha música.

Meu coração agradece verdadeiramente

Bjs

_II_

 

 

Distant hearing

 

For so long have I been deafened by my own silence, so devastating , corrosive, mean, a voiceless scream that has extirpated me to the full, pulled out all roots, assaulted strings, demolished my most abstract concretes. The nothingness, thus installed in the living of all, unrecognizably mingled, has generated the deepest torment in this so strongly vulnerable soul, left to bare, skinless truths.

Such a tiring battle whose opponents are myself alone.

Despite still so exhausted and adrift, yesterday I could hear what I identified with your voices, all of you who wish me well, I know, and to whom I shall always dedicate great part of my life and my music.

My heart is truly thankful.

Lv

_II_

 



Escrito por amita às 00h59
[   ] [ envie esta mensagem ]


[ ver mensagens anteriores ]

  Ver mensagens anteriores

links
  fiteiro
  música é o negócio
  impressoes de fevereiro
  spoiler
  lotta continua
  anaconda
  mude
  sovaco de cobra
  giralata
  gandalf
  poesia de latrina
  hora do café
  opyo
  impressões de ontem
  vita manifesta
  collective intelligence
  anita roddick
  no war blog
  night passage