by Amita Padma

Falso brilhante

 

Brilha, me encanta, me atrai, me intriga.
Como o mito, em que a referência do falso não existe, só do verdadeiro, que é múltiplo, que depende da interpretação, da ênfase.

O mito não constrói, reaparece novamente, que não é “outra vez” pois "outra vez" é repetir o mesmo e não fazer “de novo", criar o novo.

Essa versão que trago hoje é tão brilhante quanto a original, porque tem brilho de astros que representam o obscuro e traduzem o sombrio em luz.

(alguns diriam Shine On Crazy Diamond)

bjs_II_

 

 

Fake brilliant

 

It shines, delights me, attracts me, puzzles me. Like the myth that makes no reference to fakeness, only to the truth, which is multiple and depends on interpretation, on emphasis. The myth does not build, it comes again, which is not “one more time” for one more time is repeating the same rather than doing it “again”, creating the new.

This version I bring you today is as brilliant as the original one, because it has the shine of heavenly bodies that represent the obscure and translate shadows into light.

(some would say Shine On Crazy Diamond)

 lv _II_

 



Escrito por amita às 16h11
[   ] [ envie esta mensagem ]


[ ver mensagens anteriores ]

  Ver mensagens anteriores

links
  fiteiro
  música é o negócio
  impressoes de fevereiro
  spoiler
  lotta continua
  anaconda
  mude
  sovaco de cobra
  giralata
  gandalf
  poesia de latrina
  hora do café
  opyo
  impressões de ontem
  vita manifesta
  collective intelligence
  anita roddick
  no war blog
  night passage